segunda-feira, 2 de maio de 2016

Mal traçadas linhas 23

 
     A paz e o nada

     Paz não é placidez. A Bíblia diz que a paz de Cristo excede todo o entendimento. Uma assertiva que, por si, indica que paz é coisa que não se define e nem se entende.

     Para começo de conversa, não vai ser ausência de situação de guerra, ausência de conflitos, internos ou externos, na pessoa, ausência de dificuldades, provações, privações, tragédias.

      Como diz Tiago, o cara de maior senso prático do Novo Testamento, várias provações e privações devem
ser motivo de toda a alegria, destaque aqui para os indefinidos "várias" e "toda". Uma provação só, não é nada. E a alegria quando elas vêm todas juntas, é toda, completa.

       Paz é o nada. É inércia emocional total, estabilidade e equilíbrio dos nervos em toda e qualquer situação. Deus está presente. Elias, em seu medo, depressão e fuga, estilo Jonas, subiu um monte e escondeu-se numa caverna.

      Nada mais platônico e freudiano. Psicanaliticamente falando, Deus proporcionou a terapia que, na verdade, pareceu mesmo resultado do acaso. Sucederam-se fenômenos da natureza, coincidentemente assustadores: tremores, borrasca e tufão.

       Elias, acostumado a entender Deus como sempre associado a essas brutalidades, não esperava que quando houvesse nada, quando fosse o comum, uma brisa de fim de tarde, que Deus lhe despertasse o entendimento. Reage, Elias, homem igual a nós, conclui Tiago.

       E mandou-o sair da caverna. Retorna à rotina e fique em paz. Indica Eliseu, sua área de ação, como profeta em teu lugar, intrometa-se na sucessão de rei em Israel, assim como na política externa da vizinha Síria. Muito provavelmente a ordem do Altíssimo dizia respeito a assuntos de domínio prático do ministério de Elias.

       Tudo na mesma? Paz. Nada de novo? Paz. Tumulto emocional, financeiro, político e seja lá qual ou como for? Paz, que excede todo o entendiemnto. Que não é inércia no sentido de não agir, mas agir com propósito e sabedoria, diligência ativa inteligente e serena.

        Lucidez, termo básico quando se trata de paz. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou, não vo-la dou como o mundo a dá. No mesmo contexto, Jesus também disse: No mundo tereis aflições; tende bom ânimo: eu venci o mundo.

       Em tudo sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições. E a paz de Cristo, que excede todo entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus. Paz tem a ver com tudo isso.

      (1) formular o que aflige; (2) prostrar-se diante de Deus; (3) obter esclarecimento, luz sobre as trevas mentais; (4) fazer descansar o coração. Por fim, gozar da paz que excede todo o entendimento.

       Não tente entender.
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário